Hipotiroidismo: doença comum pouco diagnosticada na Tireóide

hipotiroidismo - mau funcionamento da tireoide

Fraqueza, alteração menstrual, falta de memória, desânimo, alteração do humor, irritabilidade, distúrbio do sono, prisão de ventre, queda de cabelo, cansaço, ganho de peso em mulheres acima de 40 anos: Menopausa? Depressão? Velhice?

Talvez possa ser um desses diagnósticos, mas o mais provável é que se trate de mau funcionamento de tireóide, denominado de hipotireoidismo. Essa é uma doença comum que afeta 1 em 10 mulheres acima dos 40 anos, dobrando esses valor após os 60 anos. Por ser mais comum em mulheres, por vezes é o ginecologista quem faz seu diagnóstico, acreditando-se que 1 em cada 5 queixas de menopausa de fato é secundária ao hipotireoidismo e não ao climatério.

Tireóide

Tiróide ou tireóide, ambos os termos são corretos – é uma glândula que localiza-se na base anterior do pescoço, abaixo do pomo de Adão (gogó), em forma de borboleta de asas abertas, que se move à deglutição. É pequena, atingindo em média 20g, mas poderosa em sua ação, pois afeta todas as células, aumentando seu metabolismo, tornando suas funções mais rápidas. Produz dois hormônios denominados de T3 e T4, pois contém respectivamente três e quatro moléculas de iodo em sua composição.

Quadro clínico da Tireóide

Auando a tireóide diminui a produção de T3 e T4, as células do corpo progressivamente vão lentificando suas funções, e a mulher vai apresentando raciocínio lento, falta de memória, desânimo, preguiça excessiva, irritabilidade, lentidão de movimentos, prisão de ventre, alteração menstrual com fluxo aumentado e perda sanguínea por maior tempo, alteração do metabolismo dependente de proteínas com conseqüente queda de cabelos, unhas quebradiças e a pele seca e fina (pergaminácea ou tipo pergaminho), bradicardia (batimentos lentos do coração), respiração lenta, com infiltração de uma substância chamada de mucopolissacáride em todos os tecidos (denominada mixedema), induzindo ganho de peso e arritmias, falta de ar e inchaço de pernas

Papo – Aumento da glândula tireóide

O hipotireoidismo provoca aumento da glândula tireóide, aparecendo no pescoço um bócio, denominado de papo. Essa doença por vezes evolui muito lentamente, dificultando o seu diagnóstico, pois as alterações só serão evidentes depois de anos.

Quando não diagnosticado, o hipotireoidismo pode levar até ao coma, denominado coma mixedematoso, pela total lentidão generalizada do metabolismo celular.

Causas mais comuns de hipotireoidismo: inflamação da tireóide (tireoidite) por produção de anticorpos contra a glândula, chamada Tireoidite de Hashimoto, cirurgias com retirada parcial ou total da tireóide, uso inadequado de iodo (falta de iodo ou excesso em medicamentos como ancoron®, que é antiarrítmico) ou uso de iodo radioativo terapêutico.

Tratamento da tireóide

O tratamento da tireóide é simples e eficaz: repõe-se oralmente, através de comprimidos diários, a quantidade de hormônio faltante, que deve ser tomado em jejum para sua maior absorção – assim, a doença não deve interferir com a qualidade de vida. A dose necessária é muito pontual, sendo controlada através da determinação dos hormônios no sangue circulante principalmente do TSH (hormônio estimulante da tireóide).

Aprenda mais sobre essa glândula responsável pelo funcionamento de todo nosso corpo, consultando o seu médico ou o site da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia SBEM

Por: Profa. dra. Maria Lúcia Bueno Garcia
Médica assistente doutora do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo


Breves de Saúde

Somos da área da saúde, por isso falar de saúde é o nosso hobby. Encontre informações importantes de profissionais que estão no dia a dia ajudando pessoas a se prevenir e curar de doenças.

DEIXE SEU COMENTÁRIO